Ela passou

Facebook Twitter Email

Ela passou sem força

por mim consumido

vazia aflito

sombria interno

em silêncio morto

não tocou no inferno do abismo

em nada meu que se aproximou

a faringe distante

intacta em minhas agruras

algo se perdeu um verbo soldado

eu calado aqui abri

pela primeira vez vou cair

entregue ao vazio escorrer

em paz no sofá

enquanto a saborra

da boca do cachorro

que me lambe

me faz companhia

[Fabio Navarro] – Mais poesias do autor



Os comentários estão desativados.