Estamos combinados?

Facebook Twitter Email

Dance em mim.

Sapateie com seu Louboutin em meu coração vadio.
Dê rodopios e pulinhos em meu peito.
Não tenha medo, meu amor.
Faça farrapo,

desande o caldo,
observe este homem sofrer feito o cramunhão.
Dê gemidinhos de prazer,
ria,
ria deste pobre diabo.

Eu sobrevivo a tudo isso, pequena.
finjo sofrer,
apresento meu melhor ângulo para a câmera,
deixo escorrer uma lágrima mais salgada que feijão no Exército.

Pronto.
Teve seu momento sadô,
cantou,
gozou,
e no fim,
o anti-herói tem seu momento de glória.

Quando a mocinha goza de seu rubor,
depois de todo esse teatro,
eu saio em busca de outro desamor.

[Pedro Henrique Araújo] – Mais poesias do autor



Os comentários estão desativados.