Nietzchiana & L’argot du bruit

Facebook Twitter Email


não honro mais o laurel poeteiro
pois não sei quem é ela
que me chupará num verso

ereto

qual o tamanho dos seios?
são grandes? pequenos?
ou milhões de verões em dois melões inteiros?

quais bicos mordisco e aperto?
diante de que bunda ajoelho e rezo
entre as abóbodas austrais
que guardam apertado o mais visceral
dos pecados

esperarei em cada linha de minhas poesias
escritas com sêmen
presente de minha amante nietzschiana
sasha grey


[Jr. Bellé] – mais poesias do autor
[Música: L’argot du bruit | Autor: Pascal Comenale]



Os comentários estão desativados.