No meu seu de flores

Facebook Twitter Email

já fui marcado no lombo
pelas chibatas mais doces
por estertores amores de um único suspiro
já fui enganado pela sinceridade de um gemido

de tudo que já fui
resta o que ainda sou

resta as paixões desesperadas
resta a botânica da alma
num jardim de botões amedrontados

Já vi muitas moças
E seus sorrisos

Vivi muitas prosas
E dramas bizarros

Já vi o beija-flor
E a flor que beija

Vivi o amor

E a dor que deixa
e termina assim:
Miro novamente/no meu seu de flores/mulher multicores


[Parceria entre Jr. Bellé e Daniel Perroni Ratto]



Os comentários estão desativados.