Quase bobo

Facebook Twitter Email

Se alguém perguntar por mim,
diga que fui dar um rolê com Hunter Thompson.
Fui passear pelo mais lisérgico caminho.
Não vou sozinho, o Gonzo está ali
Se alguém perguntar por mim,
diga que estou voando,
que peguei carona num disco voador e devo me atrasar para o jantar.
Se alguém pergunt…..
Ah, diga nada não.
Deixe a dúvida no ar.
Estou ali,
cochilando naquela nuvem fofinha,
cavalgando um cometa
ou cantarolando com anjos barrocos.
Meu escritório é numa cachoeira e nadamos nus.
Se alguém perguntar por mim,
diga que isso é início de Bossa Nova e peça para mandar um telegrama.
Não respondo e-mail e meu celular acabou a bateria.
Se alguém perguntar por mim,
diga que estou comendo um cogumelo,
tomando um chazinho
e correndo atrás de um duende.
Por isso estou fazendo versos hippies,
de tão insuportáveis que se personificam em dragões de durepox
ou narguilés.
Se alguém perguntar por mim,
diga que só adiciono no facebook quem eu conheço
e que não obedeço regras de cutucar.
Se alguém perguntar por mim não diga nada.
Mostre a língua e coce o sovaco.
Se alguém perguntar por mim,
diga apenas que gosto de Caetano e pão sovado.
Se alguém perguntar por mim,
diga que não me vê há anos.
Faça assim,
se alguém perguntar por mim,
diga que morri.

[Pedro Henrique Araújo] – Mais poesias do autor



Os comentários estão desativados.