Sentido Centro

Facebook Twitter Email

Minha guia paralela ao caos
Na calçada tapete de flor
de quaresmeira
Queria não ter calçado
Pressa no calcanhar

Pua, cotovelo indelicado
Tirana piracema humana
Gosto de planta do pé nua
Atufada numa lama safardana
qualquer

Deve ser receio de ser nada
ou muito pouco
Um amontoado aleatório
Na chuva de querosene
sombrinhas valseiam

[Bibi Monteiro] – Mais poesias da autora



Os comentários estão desativados.