Tabaco Búlgaro

Facebook Twitter Email

Axiomas cristãos Apagam
me derretem tremores

Café amargo Sentir o nascer
na sacada por folhas secas

Anedota do tempo Queimam a seda
em baforadas nas narinas

Máquina de lavar Tua pele
fundo do silêncio salva

Recorte de rosa Em carne viva
vaso sem água a alma

Epidérmicos Escorrem
furos no calçado tua umidade

Tabaco búlgaro Em lábios
ocular enlace meus destroços

Em pé Se tornam
pensamento ventrículos

Teu corpo Pu ls
fronte minha an do

Enveredar Pu l
por tuas pernas san do

[Fabio Navarro] – Mais poesias do autor
[Foto de Diaan Mynhardt]



Os comentários estão desativados.